sábado, 22 de julho de 2017

Maria Regina - A Menor Cantora Do Mundo (1962)

01. A Música Do Papai
02. A Música Da Mamãe
03. Oh, Carol
04. Meu Barco
05. A Cigarra E A Formiga
06. Chapeuzinho Vermelho
07. Parabéns A Você
08. Feliz Aniversário
09. De Rodinha Em Rodinha
10. Frere Jacques
11. Jingle Bells
12. Carta A Papai Noel

Maria Regina
Maria Regina Cordovil
⛦5/7/1956 São Paulo, SP 

BIOGRAFIA
Cantora. Filha do maestro e compositor Hervé Cordovil e irmã do cantor Ronnie Cord. Iniciou a carreira artística ainda muito criança.

Começou a carreira artística com apenas quatro anos de idade. Na época, ouviu um disco que seu avô havia gravado com seus irmãos Ronnie, Norma e Hervé Jr. Pediu então ao pai, Hervé Cordovil, que queria gravar um disco também. Hervé então a levou juntamente com o irmão Hervé a um estúdio de gravação e lá registraram três músicas: "Oh, Carol", "Pretty Blue Eyes" e "Biquini de Bolinha Amarelinha". Ronnie Cord levou as gravações para a Rádio Tupi e elas foram executadas em um programa. Os programadores lançaram um concurso entre os ouvintes, para saber se a cantora, sendo tão jovem, com apenas quatro anos de idade, deveria seguir carreira artística ou não. Através de cartas e telefonemas, os ouvintes aprovaram a jovem cantora. Foi levada então pelo pai, na época, diretor da gravadora Copacabana, para um teste na RCA Victor. Foi aprovada e gravou então seu primeiro disco, um 78 rpm, dividido com o cantor Gasolina, que cantou no lado A, com ela interpretando no lado B "A Música Do Papai", de Daicy P. Cordovil. Em seguida, gravou a balada "Oh! Carol", de Neil Sedaka e Howard Greenfield, em disco que teve no lado B a presença de Tia Amélia. Ainda em 1961, gravou seu primeiro disco cantando inteiramente sozinha e interpretando a tradicional música natalina "Sinos de Belém (Jingle Bells)",em adaptação de Evaldo Ruy, e a marcha "Carta a Papai Noel", de Hervé Cordovil. Em 1962, gravou seu primeiro LP, que contou com o acompanhamento de Francisco Morais Sua Orquestra e Coro, e que teve como título "A menor cantora do mundo". No repertório interpretou as músicas "A Música Do Papai", de Daicy P. Cordovil; "A Música Da Mamãe", de Hervé Cordovil; "Oh! Carol", de Neil Sedaka e Howard Greenfield; "Meu Barco (My Bonnie Lies Over The Ocean)", versão de Juvenal Fernandes; "A Cigarra e a Formiga" e "Chapeuzinho Vermelho", ambas de Daicy P. Cordovil e Hervé Cordovil; "Parabéns A Você (Happy Birthday To You)", de Mildred J. Hill e Patty S. Hill, em versão de Juvenal Fernandes; "Feliz Aniversário", de Alvarenga e Ranchinho; "De Rodinha Em Rodinha", de Geraldo Cordovil; o tema tradicional "Frére Jacques", adaptação de Hervé Cordovil; "Sinos de Belém (Jingle Bells)", adaptação de Evaldo Ruy, e "Carta a Papai Noel", de Hervé Cordovil.

Marco Antônio - Tu Serás a Estrela Guia (1964)

01 - Espera mais um pouco
02 - Abre a porta
03 - Ave sem ninho
04 - Se eu pudesse lhe dar o perdão
05 - Tu serás a estrela guia
06 - Nossas alianças
07 - Nosso amor tinha raiz
08 - Deus esteja nesta casa
09 - Andaluza
10 - O pranto dos meus olhos
11 - A noite, o luar e alguém
12 - É bom ser bom.

Marco Antonio (Cantor)
☼Circa, 1935 Rio de Janeiro 
✟1965, Nilópolis, RJ

BIOGRAFIA
Faleceu tragicamente ainda jovem no auge do sucesso quando ao regressar à sua residência no município fluminense de Nilópolis foi atingido por uma descarga elétrica durante uma tempestade.

Iniciou a carreira artística em meados da década de 1950. Contratado pela Columbia, gravou em 1954, a batucada "Você chorou", de Átila Bezerra, Sebastião Gomes e Jorge Gonçalves, e a marcha "Ximbica resfriada", de Alneida Freire, Murilo Vieira e A. Vanderley. Foi para a RGE e gravou em 1961, com acompanhamento do conjunto RGE os sambas "Mulher de trinta", de Luiz Antonio, e "Samba de improviso", de Haroldo Barbosa e Luis Reis, e os boleros "Beija-me depois", de Evaldo Gouveia e Jair Amorim, e "Volta", de Ciro de Souza e Antônio Moreira. Em 1962, gravou a marcha "Sujaram a barra", de Nello Nunes, A. Batista e Guguta; o samba "É menino", de Antoninho Lopes, Zé da Vila e Ramandini; o bolero "Chega", de A. F. Conceição e Espírito Santo, e a guarânia "Contando os dias", de Lupicínio Rodrigues. Nesse ano, participou da coletânea "14 sucessos de ouro - Vol. 2" da RGE interpretando em dueto com a cantora Elza Laranjeira a balada "Amor".

Martinha – Eu Te Amo Mesmo Assim (1967)

1. Gosto de Você
2. Meu Vestidinho
3. Não Gosto Mais de Você
4. Seja O Que Deus Quiser
5. Não é Tristeza
6. Barra Limpa
7. Historia de Amor
8. Quero Ficar Sozinha
9. Arranje Outra Namorada
10. Pra Que Amar Você
11. Volta Depressa
12. Eu Te Amo Mesmo Assim

Martinha (Cantora. Compositora). 
Marta Vieira Figueiredo Cunha
30/6/1949 Belo Horizonte, MG 

BIOGRAFIA 
Iniciou a carreira em 1966, participando do movimento da Jovem Guarda, sendo anunciada carinhosamente por Roberto Carlos, nas apresentações do programa, como "Queijinho de Minas". Seu primeiro sucesso foi a composição, de sua própria autoria, "Eu te amo mesmo assim", gravada no mesmo ano, num compacto simples, que trazia, ainda, a música "Quem disse adeus agora fui eu". Em 1967 teve a composição "Só sonho quando penso que você sente o que eu sinto", gravada por Erasmo Carlos na RGE. No mesmo ano, lançou seu segundo compacto com as músicas "Barra limpa" e "Não brinque assim", pela Rozenblit. Ainda em 1967, gravou seu primeiro LP, "Eu Te Amo Mesmo Assim", pelo selo Artistas Unidos/Rozenblit no qual interpretou sete composições de sua autoria: "Gosto de Você"; "Não Gosto Mais de Você"; "Seja O Que Deus Quiser"; "Barra Limpa"; "Historinha de Amor"; "Pra Que Amar Você" e "Eu Te Amo Mesmo Assim", além de "Meu Vestidinho", de Nilton e Alemão; "Não É Tristeza", de Édson Ribeiro e Maury Câmara; "Quero Ficar Sozinha", de Renato Corrêa e Donaldson Gonçalves, e "Arranje Outra Namorada" e "Volta Depressa", as duas da dupla Marcos Roberto e Dori Edson. Em 1968, lançou três compactos simples com as músicas "Por Quem Estou Apaixonada"; "Se Você Não Explicar"; "Se Não Fosse A Lua"; "Seja O Que Deus Quiser"; "Pior Pra Você, Bem Pior Pra Mim" e "Eu Sei O Que Quero", todas de sua autoria. No mesmo ano, lançou seu segundo LP "Martinha", novamente com sete composições de sua autoria: "Por Quem Estou Apaixonada"; "Se Você Não Explicar"; "Eu Daria A Minha Vida"; "Eu Queria"; "Pior Pra Você, Bem Pior Pra Mim"; "Você Não Voltou", e "Não Sei Se Você Sabe", além de "Choro Só Por Chorar", de Luiz Fabiano; "A Minha Melhor Amiga", de Elizabeth; "A Tão Sonhada Paz", de Castro Perret; "Eu Só Queria Namorar Você", de Dori Edson, e "Nem Mesmo Em Sonho". Ainda em 1968, obteve seu maior sucesso com a balada "Eu daria a minha vida", de sua autoria, gravado por ela, inicialmente, e, depois, por outros artistas. Teve também composições gravadas por Roberto Carlos. Como cantora conheceu grande êxito com a interpretação de "Última canção", de Roberto Carlos. 

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Ednardo - Acervo Especial (1993)

01. Pavão Mysterioso (Ednardo)
02. Está Escrito (Ednardo)
03. Pastora Do Tempo (Ednardo)
04. Carneiro (Ednardo)
05. Estaca Zero (Ednardo)
06. Longarinas (Ednardo)
07. Cheros E Choros (Ednardo)
08. Artigo 26 (Ednardo)
09. Boi Mandigueiro (Ednardo)
10. Armadura (Ednardo)
11. Mais Um Frevinho Danado (Ednardo)
12. Fênix (Ednardo)
13. Ausência (Ednardo)
14. A Palo Seco (Belchior).

Ednardo (Cantor. Compositor Cearense. 
José Ednardo Soares Costa Souza
17/4/1945 Fortaleza, CE

BIOGRAFIA
Aos 10 anos passou a estudar piano. Aprendeu a tocar violão sozinho. Formou-se em Química pela Universidade Federal do Ceará.


Em 1969, formou, juntamente com outros jovens músicos cearenses, um grupo chamado "Pessoal do Ceará". Viajou para o sul do país. Em 1972, a cantora Eliana Pittman lançou a composição "Beira-mar" com a qual fez algum sucesso. Em 25 anos de carreira compôs mais de 250 músicas e letras, lançando 12 discos, além de quatro trilhas sonoras de filmes. Apareceu para o grande público nos anos 1970, quando sua composição "Pavão misterioso" foi incluída como tema de abertura da novela "Saramandaia", de Dias Gomes, pela TV Globo. 

Em 1973, gravou com Rodger, Teti e o arranjador Hareton Salvanini o LP "Meu corpo, minha embalagem, todo gasto na viagem", pela Continental. Em 1975, participou do Festival Abertura com a música "Vaila", em parceria com Brandão. Fez a música e o clip de encerramento da novela "Tocaia grande", de Walter Avancini, pela TV Manchete, nos anos 1990. No cinema, fez trilhas para os filmes "Luiza homem", de Fábio Barreto, em que também atua no papel de um poeta de cordel, e para os filmes "Tigipió" e "Calor da pele", ambos de Pedro Jorge. Dirigiu, musicou e fez o roteiro de "Cauim", apresentado em todos os shows de sua turnê de 1978/79.

Década Explosiva Nacional - Máquina Quente (1976)

01 - Festa de arromba
(Erasmo Carlos - Roberto Carlos)
02 - O bom
(Carlos Imperial)
03 - Só eu e você (There’s A Kind Of Hush)
(Les Reed - Geoff Stephens - Versão: Lilian Knapp)
04 - Alguém na multidão
(Rossini Pinto)
05 - Banho de lua (Tintarella Di Luna) 
(P. De Filippi - F. Migliacci - Versão: Fred Jorge) 
Rua Augusta
(Herve Cordovil)
06 - Pobre menina (Hang On Sloopy)
(Bert Russel - Wes Farrel - Versão: Gileno)
07 - O escândalo em família (Shame And Scandal In The Family)
(Donaldson - Henry Brown - Versão: Renato Barros) 
08 - Vem quente que estou fervendo
(Carlos Imperial - Eduardo Araújo)
09 - Quero que va tudo pro inferno
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
10 – Fumacê
(Rossini Pinto - Solange Corrêa) 
11 - Coração de papel 
Sérgio Reis) 
A volta
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
12 - O chorão
(Luiz Keller - Edson Mello)
13 - Tijolinho 
(Wagner Benatti) 
Prova de fogo
(Erasmo Carlos)
14 - Você fala demais
(Francisco Fraga)

"Década Explosiva, pra quem não sabe, é mais uma banda de estúdio, criada para gravar grandes hits e aumentar o faturamento das gravadoras. Trata-se de prática comum no mercado fonográfico, especialmente durante os anos 1970. No caso, a referida banda é mais um dos pseudônimos usados pelo grupo The Fevers, que ainda conta com backing vocal feminino em algumas faixas. Esta “Máquina Quente”, lançada em 1976 pela Imperial-EMI-Odeon, é a versão nacional do projeto que inclui a internacional “Hot Machine”, produzida no ano anterior. A possibilidade de postá-la deve-se, mais uma vez, ao amigo Aderaldo, a quem agradeço pela colaboração. O LP é dedicado a Jovem Guarda, e vai agradar aos apreciadores do gênero. No repertório, canções como “Festa de arromba” (sucesso do Erasmo Carlos), “Pobre menina” (Leno & Lilian), “O bom” (Eduardo Araújo), “Só eu e você” (Carlos Gonzaga) e outras que farão relembrar as saudosas tardes de domingo" (Texto do Chico, autor/editor do blog Sintoniamusikal, nosso parceiro)

FONTE: http://sintoniamusikal.blogspot.com.br/2016/05/decada-explosiva-nacional-maquina.html

Jerônimo, o Herói do Sertão - Trilha Sonora da Novela / TV Tupi (1972)

01-Ronaldo Golden Boys - Moleque Saci
02-Marisa Fossa - Flores do Mato
03-Sá Rodrix Guarabira - João Corisco
04-Orquestra Odeon - Lembranças
05-Golden Boys - Coronel Saturnino
06-Orquestar Odeon - Jeronimo - Voltei pra Ficar
07-Orquestra e Coro Odeon - Canção de Jerônimo, o Herói do Sertão
08-Pery Ribeiro - Do lado do coração
09-Luiz Claudio - Monjolo
10-Orquestra Odeon - Suzana
11-Orquestra Odeon - Tema do Caveira.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Moacir Franco - Antologia

01.A sombra do teu sorriso
02.Amiga
03.As coisas que eu gosto (My favorits things)
04.Balada do amor sublime
05.Balada para um louco
06.Calmo setembro (Sweet september)
07.Canção falando mal de você
08.Doce amargura (Ti guarderó nel cuore)
09.Em busca do amor (From Russia with love)
10.Eu nunca mais vou te esquecer
11.Eu te darei bem mais
12.Juanita banana
13.Mary marry me
14.Minhas noites sem ti (Mis noches sin ti)
15.Musica das montanhas (The sound of music)
16.Nenhum de vocês
17.Ninguém chora por mim
18.O amor pra nós dois (L'amore fra noi due)
19.O Milagre da Flecha (imagem de São Sebastião)
20.Pobre Elisa
21.Poema de ternura (Non ho l'eta per amarti)
22.Preciso ser eu (I've gotta be me)
23.Que é que há gatinha
24.Que será de ti
25.Riram tanto
26.Seu amor ainda é tudo
27.Suave é a noite (Tender is the night)
28.Traiçoeira
29.Turbilhão.

Moacyr Franco
Moacyr de Oliveira Franco
* 5/10/1936 Ituiutaba, MG 


BIOGRAFIA
Cantor. Compositor. Humorista. Apresentador de TV. Produtor. Trabalhou como pintor de cartazes de cinema em sua cidade natal. Entre os anos de 1983 e 1987, interrompeu a carreira artística para cumprir mandato de deputado federal após ser eleito no estado de São Paulo pelo PTB. Em 2010, tentou voltar à carreira política, candidatando-se a senador, pelo PSL. Apesar de ter obtido mais de 400 mil votos, não foi eleito. 

Iniciou a carreira artística apresentando-se na Rádio Difusora de Uberlândia no programa "Astros e estrelas do amanhã". Transferiu-se em seguida para Ribeirão Preto onde exerceu as atividades de cantor, radioator e comediante. Mudou-se depois para São Paulo, onde atuou na televisão ao lado de Manoel da Nóbrega nos programas "Praça da Alegria", "O riso é o limite" e "Noites cariocas". O personagem que utilizou principalmente no programa "Praça da Alegria", o Mendigo, lhe rendeu sucesso com a gravação de "Me dá um dinheiro aí", que foi uma das músicas mais executadas do carnaval do ano de 1960, sendo até hoje cantada nos salões. Na época, o disco chegou a vender mais de 100 mil cópias. Na ocasião, ganhou o prêmio Roquete Pinto. Em 1959, realizou na gravadora Copacabana a sua primeira gravação, em 78 rpm, interpretando as marchas "Me dá um dinheiro aí", de Homero, Ivan e e Glauco Ferreira, que se tornou um grande sucesso, e "Compromisso do palhaço", de Sílvio Curval. Em 1962, gravou a canção "Suave é a noite", de Paul Francis Webster e Sammy Cahan, em versão de Nazareno de Brito, que se tornou um de seus maiores sucessos. No mesmo ano estreou na TV Rio o programa "Show doçura". Na mesma ocasião lançou pela Copacabana o LP "Contrastes", no qual gravou entre outras, as composições "Ninguém chora por mim", de Jair Amorim e Evaldo Gouveia, e "Quando ela se foi", de Antônio Maria e Moacyr Silva. Em 1963, passou a apresentar o programa "Moacyr Franco show", na hoje extinta TV Excelsior. No mesmo ano, o programa ganhou 6 prêmios Roquete Pinto. Em seguida seu programa passou a ser apresentado na TV Tupi e posteriormente na TV Rio.