sábado, 20 de maio de 2017

Agnaldo Timóteo - Surge Um Astro (1965)

01. Agnaldo Timóteo - Siga em Paz (2:29)
02. Agnaldo Timóteo - A casa de Irene (3:05)
03. Agnaldo Timóteo - O principio e o fim (3:33)
04. Agnaldo Timóteo - É tão triste Veneza (2:59)
05. Agnaldo Timóteo - Se choras , Se ris (2:49)
06. Agnaldo Timóteo - começamos o Amor (2:19)
07. Agnaldo Timóteo - Mamãe (3:11)
08. Agnaldo Timóteo - A casa do sol nascente (3:10)
09. Agnaldo Timóteo - Em busca do Amor (2:23)
10. Agnaldo Timóteo - Eu que não vivo sem voce (2:57)
11. Agnaldo Timóteo - Não mereço voce (2:53)
12. Agnaldo Timóteo - Amor perdoa-me (2:54)
13. Agnaldo Timóteo - Último telefonema (2:51)
14. Agnaldo Timóteo - Não te amo mais (2:55)
15. Agnaldo Timóteo - Ontem (2:25)
16. Agnaldo Timóteo - Frio de neve (3:10)
17. Agnaldo Timóteo - Michele (2:08)
18. Agnaldo Timóteo - A Praia (3:29)
19. Agnaldo Timóteo - Eu te darei bem mais (3:00)
20. Agnaldo Timóteo - Aline (2:29)
21. Agnaldo Timóteo - Furacão (2:28)
22. Agnaldo Timóteo - Eu amo (2:30)
23. Agnaldo Timóteo - Cai a neve (2:49)
24. Agnaldo Timóteo - Como sinfonia (2:45).

Agnaldo Timóteo
16/10/1936 Caratinga, MG

BIOGRAFIA
Começou cantando em circos no interior de Minas Gerais. Após vários anos cantando sem grande repercussão, por volta de 1960, foi ouvido, num programa de rádio, em Belo Horizonte, por Anísio Silva, que estava no auge de sua carreira. Anísio o apresentou a seu empresário, Kléber Lisboa, que o aconselhou a ir ao Rio de Janeiro cantar no programa do César de Alencar, sucesso absoluto de audiência na época. Em 1960 mudou-se para o Rio de Janeiro. Sua carreira artística começou realmente a se concretizar quando foi levado por Jair de Taumaturgo para se apresentar no programa "Hoje é dia de rock". Em 1964 gravou seu primeiro disco, um 78 rpm pelo selo Caravelle, interpretando o samba canção "Sábado no morro", de Mário Russo e Sebastião Nunes e o rock balada "Cruel solidão", de Renato Gaetani. Em 1965 gravou em LP a faixa "A casa do sol nascente", de Alan Price, versão de Fred Jorge, destacando-se, desde então, como cantor popular romântico, com privilegiada voz e uma extensa discografia.

Agnaldo Rayol - Somente Boleros (1965)

01 - Quando o amor te chama                                
02 - Adiante                                               
03 - Caminho do não sei onde                               
04 - De joelhos                                            
05 - Reza                                                  
06 - Acorrentados                                          
07 - Mente-me                                              
08 - Rival                                                 
09 - De ti não quero nada                                  
10 - A noiva                                               
11 - Coração de aço                                        
12 - Deixe pra mim a culpa.

Agnaldo Rayol
Agnaldo Coniglio Rayol
 3/5/1938 Rio de Janeiro, RJ

BIOGRAFIA
Com possante voz, ao estilo dos grandes cantores tradicionais, como Carlos Galhardo, iniciou a carreira na Rádio Nacional,em 1946, aos oito anos de idade, onde se apresentou no programa de Renato Murce, "Papel carbono". Pouco depois, foi com a família para o Nordeste, residindo em Natal(RN). Neste período atuou como ator de rádio e cantor na Emissora Natalense, na Rádio cearense Araripe e na Rádio Poti. Em 1951, retornou ao Rio de Janeiro, onde participou do filme "Maior que o ódio", de José Carlos Burle. Em seguida voltou a Natal em excursão com Leny Eversong. Em 1954, em Natal, fez parte do Trio Puracy com o qual gravou um disco pela Rozenblit. Em 1956 foi contratado pela Rádio Tupi, no Rio de Janeiro. Em 1958, gravou seu primeiro disco de 78 rpm pela Copacabana, com o samba "Prece", de Osvaldo Gogliano 'Vadico', e o samba-canção "Se todos fossem iguais a você", de Tom Jobim e Vinícius de Morais. Neste ano ainda mais dois discos 78 rpm foram lançados pela mesma gravadora, contando um deles com "Serenata do adeus", de Vinícius de Moraes. Nos anos seguintes mais uma série de discos deste tipo foi lançada, contendo músicas em diversos estilos: fox, slow rock, samba, bolero, marcha-rancho e canções de Natal, entre outros. Em 1961, dividiu seu disco com Ted Moreno, cantando no lado B "Eu não tenho para onde ir", balada de Édson Borges.

Adriana - Antologia

01.Adriana - Alô meu bem, eu voltei (Alone again)
02.Adriana - As flores do jardim da nossa casa
03.Adriana - Justo nesta noite
04.Adriana - Anjo
05.Adriana - Dom de amar
06.Adriana - Deixa pra lá
07.Adriana - O amor que existe em mim (We´re all alone)
08.Adriana - Deixe estar como está
09.Adriana - Se o metro passasse aqui
10.Adriana - Contigo
11.Adriana - Volta pra mim
12.Adriana - Deixem-me viver
13.Adriana - Aposto
14.Adriana - Que bom que existe o amor (Anonimo veneziano)
15.Adriana - Dia D
16.Adriana & Wanderley Cardoso - Eu e você
17.Adriana - Serrote
18.Adriana - Sinto muito
19.Adriana - Mamãe cê viu
20.Adriana - Céu de abril
21.Adriana - O problema é seu
22.Adriana - Oração a Santa Edwiges
23.Adriana - Vesti azul (ao violão e na intimidade)
24.O que me importa (ao violão e na intimidade)
25.Adriana - O cara (ao violão e na intimidade).

Adriana - Cantora da Jovem Guarda
BIOGRAFIA
Assim como suas filhas, as gêmeas Natanna e Tuanny (da Nova Turma do Balão Mágico), a cantora Adriana também começou a cantar muito jovem. Com apenas 13 anos, emplacou seu primeiro sucesso "Vesti Azul", em 1969, que já havia sido gravada por Wilson Simonal. Mas foi a versão cantada pela adolescente loirinha e tímida que estourou, fazendo Adriana vender 380 mil cópias. A mãe, vedete de teatro de revista, não queria saber da filha cantando nos palcos ao lado dos artistas da Pilantragem, movimento que veio logo após a Jovem Guarda. Mas Adriana, que levou a nota máxima, cinco, do jurado mais temido da época, José Fernandes, só tinha uma certeza: gostava de cantar e, apesar da timidez, seguiu em frente com a carreira.

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Adilson Ramos - Sonhar Contigo (1963)

01. Sonhar Contigo (Adilson Ramos - A. Leandro)
02. Me Leva Contigo (Luiz de Carvalho - Luiz Wanderley)
03. Longe De Ti (Adilson Ramos - A. Leandro)
04. Olga (Adilson Ramos - A. Leandro)
05. Noite Sem Luar (Ruthinaldo - Pelópidas Gracindo)
06. Tudo Faz Recordar (Moura Fontes - Adilson Ramos)
07. Sonhei Com Você (Adilson Ramos - A. Leandro)
08. Se Meus Olhos Falassem (William Duba)
09. Sempre Sonhar (Julio Louzada - Jorge Gonçalves)
10. Sina Que Deus Me Deu (Moacyr Bastos - Darci da Silva)
11. Silêncio (Darci da Silva - Adilson Ramos)
12. Se Você... (Adilson Ramos - A. Leandro).

BIOGRAFIA
Adilson Ramos de Ataíde
Cantor. Compositor. 
7/4/1945 Rio de Janeiro, RJ
Sua carreira musical se iniciou quando tinha apenas 12 anos de idade e passou a fazer parte do elenco do "Clube do guri". Em 1963, gravou seu primeiro disco individual, "Sonhar contigo", de sua autoria e Armelindo Leandro, lançado em 78 rpm e LP pela RCA Victor, título da canção de sua autoria que já foi regravada por diversos cantores como Elymar Santos, Agnaldo Timóteo, Orlando Dias, Tânia Alves, Irmãs Galvão, entre outros. A mesma canção também fez parte da trilha sonora de "Hilda Furacão", minissérie exibida pela TV Globo no fim da década de 1990. Ainda na década de 1960 e na posterior, lançou diversos discos no formato de compacto simples, duplo e LP. Em 1964 fez sucesso com "Leda", de sua autoria e Gentil Ramon. Em 1977, lançou mais um de seus discos que obteve grande sucesso, "Eu e o tempo", pela Copacabana, tendo vendido milhões de cópias.

Ademar Silva - Louca Paixão

01.Órfão de Pais Vivos (2'17")
02.Louca Paixão (3'33")
03.Uma Prece (3'43")
04.A Noite É De Nós Dois (2'45")
05.Ficamos Assim (3"14")
06.Noite de Angústia (4'03")
07.Sofrer "Sufrir" (3'17")
08.Meu Suplício (2'54")
09.Que Me Importa (3'10")
10.Coleção de Amores (3'22")
11.Assim Não Podemos Continuar (3'49").

BIOGRAFIA
Ademar Marques Rataiesky
15/11/1943 São Lourenço do Sul, RS
Apresentou-se em festas gaúchas e tocou com Teixeirinha no Rio Grande do Sul, Uruguai e Argentina. Em 1961 gravou pela Philips "Gaúcho forasteiro", de sua autoria e Leopoldo e "Oito de maio", parceria com Pinheiro. No ano seguinte, lançou pela mesma gravadora, "O amor que eu sonhei" e "Homenagem ao papai", parcerias com Leopoldo. Em 1963 gravou pela RCA as toadas "Leva eu, sodade", de Tito Neto e Alventino Cavalcânti e "Chuva do bem", de Demóstenez Gonzales.

Em 1968, lançou "Rei dos pampas", composição de Raul Torres. Gravou também "Vida triste", de Piraci e Lourival dos Santos. Apresentou-se em emissoras de rádio e de TV, circos, boates e teatros de diversos estados do Brasil. Em 1975, gravou um LP pela Tropicana. Destacaram-se naquele LP, "Saudades de Porto Alegre", de Roberto Stanganelli e Paraguassu, "Felicidade", de Lupicínio Rodrigues, "Velhas cartas", de Tonico, Tinoco e Zé Paioça e "Sortes iguais", de sua autoria. Entre 1975 e 1982, gravou quatro LPs pela Chantecler. Gravou, ainda, diversos discos pelas gravadoras PolyGram, Continental e Solo Livre.

Abdias - Abdias no Forró (1960)

1.Roedeira dor de amor 
2.Rifungando
3.Cajueiro
4.Pai Abdias no forró
5.Tem rapadura
6.Quadrilha no arraiá
7.Pulando o frevo
8.Casquinha de siri
9.Moreninha
10.Cachoeira
11.Raposa magra
12.Dois amigos.


BIOGRAFIA
José Abdias de Farias, ou simplesmente Abdias, como se tornou conhecido, nasceu em Taperoá, Paraíba, em 13 de Outubro de 1933, vindo a falecer em 3 de Março de 1991. Foi casado com Marinês - "A Rainha do Xaxado", sendo fruto deste matrimônio o destacado acordeonista Marcos Farias. Indubitavelmente, Abdias foi um dos grandes vultos históricos da sanfona de oito baixos, consagrando - se como solista em carreira discográfica que principia com o disco que aqui apresentamos.

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Gilberto Gil - Perfil

1. Vamos Fugir (Give Me Your Love)
2. Esperando na Janela
3. Não Chores Mais (No Woman, No Cry)
4. Flora
5. Super-Homem – a Canção 
6. Índigo Blue 
7. Palco Palco 
8. Realce Realce 
9. Punk da Periferia 
10. Pessoa Nefasta 
11. Andar com Fé 
12. Refazenda 
13. Drão 
14. Se Eu Quiser Falar com Deus 
15. A Rita 
16. A Novidade 
17. Domingo no Parque 
18. Aquele Abraço.

BIOGRAFIA
Gilberto Passos Gil Moreira. Nasceu em 29/6/1942, Salvador/BA.
Compositor. Cantor. Instrumentista. Até os nove anos de idade viveu com o pai, o médico José Gil Moreira, e a mãe, a professora primária Claudina, na cidade de Ituaçu, no interior da Bahia, para onde foi com vinte dias de nascido. De volta a Salvador, foi morar na casa de sua tia Margarida, e passou a frequentar a Academia Regina, onde teve aulas de acordeom. Estudou o instrumento por quatro anos, tendo neste período formado o grupo Bando Alegre com colegas do colégio Nossa Senhora da Vitória, onde estudava. Mais tarde, formou também o grupo Os Desafinados. Frequentou programas da Rádio Excelsior, onde se reuniam acordeonistas nordestinos. Lá conheceu Sivuca e Hermeto Pascoal. Em 1961, foi presenteado por sua mãe com um violão, instrumento que veio a executar com muita personalidade. Teve como influência musical as canções típicas do sertão baiano, como as cantorias dos cegos e violeiros de feiras e os dobrados tocados pelas bandinhas em festas religiosas. Os discos de Francisco Alves, Orlando Silva, Dorival Caymmi e Luiz Gonzaga, transmitidos pelo serviço de alto-falantes, típicos em cidades interioranas, também faziam parte de seu universo sonoro.